sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

OVER THE RAINBOW

Para mim, a versão mais fantástica dessa inesquecível canção dos anos 30 (Dorothy que o diga), na voz de um dos maiores artistas havaianos de todos os tempos: Israel 'IZ' Kamakawiwo'ole.
O final é de arrepiar até os cabelos da minha careca, quando suas cinzas são depositadas no mar.
Assista e emocione-se!! É só clicar aqui!!

sábado, 27 de novembro de 2010

AND THE WINNER IS...


All Star!!
Na verdade, acho que não há marca mais emblemática para representar os inesquecíveis anos 80.
Difícil encontramos uma marca que tenha tanta relação com uma época como a dos tênis All Star / Converse. E ela persiste, atravessa gerações, conquista novos adeptos a cada dia. Quem usou, não troca por nada, quem ainda não experimentou, não sabe o que está perdendo.
All Star, inesquecível, como os anos 80!!

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

NOVA ENQUETE

E aí pessoal. Agora o assunto é 'marcas'. Votem ao lado para escolher a marca mais significativa dos anos 80. E por favor, peçam para seus amigos darem uma passadinha por aqui para votar também.
E não esqueçam, vocês podem votar em mais de uma opção!!
É isso. Um abração e até a próxima!!

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

VÍDEOS CAMPEÕES

Obrigado pelos votos de todos os 7 que por aqui aportaram. Agora, assistam abaixo aos vídeos das músicas mais votadas.
Um beijo na boca do estômago e voltem/votem sempre!!







sábado, 30 de outubro de 2010

MAIS UMA ENQUETE


Agora o assunto é música.
Qual dos títulos ao lado traz melhores recordações das festinhas americanas dos inesquecíveis anos 80?
Vote e diga para seus amigos votarem também!!
Um abraço e um beijo na boca do estômago!!

Atenção!! Você pode votar em mais de uma opção!!

sábado, 23 de outubro de 2010

BACK TO THE FUTURE

E eis que o filme escolhido foi "De volta para o futuro", um clássico dos anos 80.
Abaixo todas as informações sobre o filme e, depois, um vídeo sobre o mesmo. Divirtam-se!!

A história começa em 1985. Marty McFly (Michael J. Fox) é um jovem rebelde e desobediente de 17 anos que vive com os seus pais (George e Lorraine McFly) e irmãos em Hill Valley, uma pequena cidade da California. É estudante, mas só pensa no seu namoro com Jennifer Parker (Claudia Wells) (o que não agrada seus pais, principalmente sua mãe, por ser bastante conservadora) e na música que toca numa banda de garagem. Nesse ano, estava acontecendo uma arrecadação para salvar a torre do relógio da cidade, que tinha sido atingida 30 anos antes, na noite de 12 de Novembro de 1955, por um raio, destruindo os seus mecanismos de funcionamento, estando apenas a parte externa para decoração. O prefeito de Hill Valley queria substituir o relógio, mas a população preferia mantê-lo apenas para decoração. Marty e Jennifer são interceptados, quando namoravam num banco de jardim, por uma mulher pedindo donativos e lhes dá um folheto a respeito. Além disso, Marty é também assistente do Dr. Emmett Brown (Christopher Lloyd), um cientista bastante ambicioso em descobertas megalómanas. A primeira descoberta descrita na história é a de um sistema para sincronizar com igual hora todos os relógios do mundo. Para isso, Emmett coloca mais de 30 relógios de pêndulo em casa para que estes toquem todos à hora programada. Emmett ouve os toques quando Marty estava com ele ao telefone para combinarem uma nova experiência e, fica histérico de entusiasmo, algo que já era comum. Emmett diz a Marty para encontrá-lo às 1h30 da madrugada desse dia (26 de Outubro de 1985) no estacionamento do Centro Comercial Dois Pinheiros, local escolhido para o novo experimento científico. Assim que chega ao local, Marty encontra Einstein, o cão de Emmett e, para seu espanto, um automóvel De Lorean saindo, envolto numa nuvem de fumaça, de um caminhão. Nesse De Lorean vinha Emmett que diz a Marty tratar-se da nova experiência que tinha preparado. Era uma máquina do tempo que funcionava através da energia cinética do movimento do carro. Era necessário acelerar o De Lorean até às 88 mph (140 km/h) que, consequentemente, fazia ativar o capacitor de fluxos, que usa plutónio para produzir uma energia elétrica de 1,21 GW para transportar o veículo para a data programada. DeLorean DMC-12 usado como máquina do tempo.Para a viagem de teste, Emmett programa o De Lorean para avançar um minuto para o futuro. Escolhe como cobaia Einstein. O carro podia ser acelerado por fora com um telecomando e Emmett assim faz. Ao ver desaparecer o De Lorean ele fica radiante e grita histericamente que conseguíu. Quando o carro e o cão voltam após o passar o minuto programado, Emmett começa a programar datas históricas no painel para mostrar a Marty como eles poderiam fazer uma viagem pela história começando por assistir ao nascimento de Jesus Cristo, vendo a seguir a Declaração da Independência dos Estados Unidos da América, até assistirem à noite do dia 5 de Novembro de 1955, data em que Emmett teve um pequeno acidente no banheiro de sua casa e resulta uma pancada na cabeça, fazendo ele ter a visão do Capacitor de Fluxo, equipamento com o qual é possível o funcionamento da viagem no tempo. O plutônio que Emmett usa como combustivel, tinha sido roubado por terroristas líbios que lhe tinham encomendado uma bomba nuclear. Já com intensão de usar o plutónio para a máquina do tempo, Emmett enganou os líbios, fazendo uma falsa bomba com peças obsoletas de fliperamas. Ao descobrirem que tinham sido enganados, eles começam a procurar Emmett e vão encontram naquela noite no parque de estacionamento enquando ele explicava a Marty as funcionalidades da máquina do tempo. Inicia-se uma perseguição que culmina com o assassinato de Emmett e tentativa de assassinato de Marty. Para fugir, Marty entra no DeLorean e utliza-o para tentar despistar os líbios. No entanto, ele esquece-se que o Capacitor de Fluxo estava ativado e, sem perceber, chega aos 88 milhas por hora (140 km/h) e a maquina é transportada para a data programada de 5 de Novembro de 1955, a qual o Doutor Brown havia programado antes. Nessa época o estacionamento era uma plantação de pinheiros (origem do nome do Twin Pines Mall). Assim que chega, Marty perde o controle do carro, observando a mudança de paisagem, e acaba batendo dentro do celeiro, fazendo um tremendo barulho e acordando os Peabodys, que o confudem com um extraterrestre graças a roupa de proteção nuclear e o formato do Delorean, assustado tentam atirar em Marty que foge com o Delorean acertando um dos pinheiros e acaba parando no que no futuro seria seu bairro a 2 km do centro de Hill Valley, onde esconde o De Lorean atrás de um outdoor. Relógio da torre de Hill Valley (set de filmagem)Ao chegar a Hill Valley, encontra a cidade bastante diferente. Os carros são antigos, toda a gente o olha com estranheza por vir vestido de maneira tão diferente da época e, o relógio da torre ainda está a funcionar. Na tarde do dia da experiência da máquina do tempo, Marty ouvira a mãe contar a história de como tinha conhecido o seu pai e, aí terem começado o namoro. O pai de Marty tinha sido acidentalmente atropelado pelo futuro sogro e aí Lorraine o acudira e, a partir daí começaram-se a aproximar e consequentemente a namorar. Marty vai procurar o lugar da sua casa, onde também crescera Lorraine e, chega precisamente no momento em que o seu avô materno ia a atropelar o seu pai e, impede que tal suceda, impedindo assim também que os seus pais se conhecessem. Ao alterar este fato, Marty cria uma perturbação na continuidade espaço-tempo que, poderá casuar que ele se apague da existência, caso não corrija o erro, ou seja, terá que fazer com que os seus pais se conheçam e venham a namorar. Marty é recolhido pela sua "mãe" e apresentado à família como sendo um novo amigo, tal como fora com o seu pai. Inventa uma desculpa para que lhe digam onde vive o Dr. Emmett Brown de 1955, a quem se dirige imediatamente antes de ele ter o acidente que lhe revelaria o segredo da máquina do tempo. Ao aparecer-lhe e ao contar-lhe a história, Emmett pensando que está a ser gozado, expulsa Marty de sua casa, tendo Emmett tido o acidente logo de seguida. Marty relata-lho tal e qual sem ter visto nada e Emmett fica espantado, resolvendo dar ouvidos a Marty. Os dois vão ao local onde o De Lorean estava escondido e Emmett decide logo estudá-lo. Marty, ao dizer-lhe que o condensador de fluxos funciona apenas com plutónio, este lamenta-se e diz que Marty está preso no tempo, pois naquela época, apenas um raio consegue criar a energia necessária para activar o condensador. Então, Marty que trouxera acidentalmente o folheto que lhe deram ainda em 1985 sobre o raio que destruíra o relógio da torre, mostra-o a Emmett que começa a arquitectar um plano para que o raio seja encaminhado para o condensador de fluxos do De Lorean e assim levar Marty de novo para 1985. No entanto, uma fotografia que Marty tinha da família em 1985, começara a reduzir-se; o que significa que a realidade começava a ser alterada. Marty terá apenas uma semana para repor a normalidade dos fatos que precederam o seu nascimento. Como sabia que o pai tinha estudado no mesmo colegio onde estudava, decide ir até lá e, oferecer-lhe algo na cantina para que se começassem a conhecer. Após alguma renitência de George, cria amizade com o "filho" em 1955. Marty terá de enfrentar o rival de George, o outro pretendente de Lorraine, Biff Tannen (Thomas F. Wilson) que lhe dificultará bastante os planos. Marty implanta um pouco a sua rebeldia quando se relaciona com os seus "pais" de 1955 que, passam a relacionar-se de uma forma mais moderna. Mas, tudo voltará ao normal, apenas quando George e Lorraine derem o primeiro beijo. Na noite de 12 de Novembro de 1955, George e Lorraine participam uma festa, aonde oficializarão o namoro. Marty, sendo músico atuará na festa, em substituição ao guitarista oficial da banda, enquanto Emmett prepara os cabos que conduzirão o raio desde a torre do relógio até ao condensador de fluxos do De Lorean. No momento em que os Marty e Loraine vão dar o primeiro beijo no carro, Biff tenta impedir. Neste ponto é que a história dos Mcfly na cidade de Hill valey começa a mudar. Marty começa a desaparecer mesmo em plena actuação no palco. Enquanto isso, no estacionamento George enfrenta Biff pela primeira vez na vida, defendendo Loraine, e o nocauteia em frente a todos os estudantes que assistem atonitos a briga. Durante o baile, George é novamente incitado a defender Lorraine, expulsa o agressor e a beija, momento em que Marty volta a aparecer inteiro e, convencido que tudo volta à normalidade, ele inventa uma desculpa para poder sair, na verdade para entrar no De Lorean para regressar à sua época. Emmett está a programar os circuitos temporais do DeLorien para a data indicada em "Last Time Departed", que era a data em que Marty deixou 1985. Assim, no futuro ninguém daria pela falta de Marty, nem ele se cruzaria com ele próprio. No entanto, Marty tem o cuidado de escrever uma carta a Emmett, avisando-o dos problemas com os líbios e, adverte-o de não abrir antes de 26 de Outubro de 1985. No entanto, Emmett diz que não poderá ler a carta, pois saber o futuro antes dele acontecer pode causar enormes desgraças e, por isso, rasga a carta em pedaços mesmo à frente de Marty. Então, Marty decide reprogramar os circuitos para uns minutos antes de "Last Time Departed", para assim tentar avisar e salvar Emmett. Quando a tempestade começa, Emmett está a concluir a ligação mas, não consegue, dados os cabos serem demasiado pesados. Porém isso não é problema, pois o raio é fortíssimo e mesmo assim desce por estes, atingindo uma vara de metal colocada por cima do De Lorean, ligada ao condensador de fluxos e assim, Marty consegue regressar de novo a 1985, chegando ao momento antes da chegada dos líbios ao parque. O nome do centro comercial fora alterado para "Centro Comercial Um Pinheiro Solitário", devido ao estrago causado por Marty numa das árvores ao ter ido parar acidentalmente à época das plantações. Chocado, Marty vê os líbios dispararem sobre Emmett e, a presseguição que antecedeu a sua ida para 1955. Então, Marty chega ao pé de Emmett e chora, pensando que ele estivesse morto mas, nesse momento levanta-se, pois lera a carta que Marty lhe deixara em 1955 e, protegera-se com um colete à prova de bala, fingindo-se de morto para enganar os líbios. Marty fica contente mas ao mesmo tempo bastante estranhado, pois não chegou a ter oportunidade para lhe contar. Emmett dá a carta a Marty, pois colou os pedaços da carta e leu, dada que a previsão do futuro iria ter consequências positivas. Emmett agradece a Marty por tê-lo salvo e, diz que irá continuar com o projeto das viagens no tempo, decidindo então conhecer o futuro. Após deixar Marty em casa, parte para 2015. Ao chegar a casa, Marty vê os seus pais diferentes, não tão distantes como eram antes da viagem de Marty para 1955 e, a relacionarem-se muito melhor do que antes. Vê também que Biff se tornara mecânico e lavador de automóveis da família McFly. As perturbações à continuidade espaço-tempo causadas por Marty em 1955, acabaram por ser positivas para a família McFly e para Emmett.

Elenco principal

Michael J. Fox - Marty McFly
Christopher Lloyd - Dr. Emmett L. Brown
Lea Thompson - Lorraine Baines / Lorraine McFly
Crispin Glover - George McFly
Thomas F. Wilson - Biff Tannen
Claudia Wells - Jennifer Parker
Mark McClure - Dave McFly
Wendie Jo Sperber - Linda McFly
George DiCenzo - Sam Baines
Lee McCain - Stella Baines
James Tolkan - Sr. Strickland
Billy Zane - Match

Prêmios recebidos e indicações

Oscar 1986 (EUA)

Venceu na categoria de melhores efeitos sonoros.
Indicado nas categorias de melhor canção original, melhor som e melhor roteiro original.

BAFTA 1986 (Reino Unido)

Indicado nas categorias de melhor edição, melhor filme, melhor roteiro original e melhor direção de arte.

Globo de Ouro 1986 (EUA)

Recebeu quatro indicações nas categorias de melhor filme - comédia/musical, melhor ator - comédia/musical (Michael J. Fox), melhor roteiro e melhor canção (The Power of Love).

Premi David di Donatello 1986 (Itália)

Venceu nas categorias de melhor filme estrangeiro e melhor roteiro - filme estrangeiro.

Academia Japonesa de Cinema 1987 (Japão)

Venceu na categoria de melhor filme estrangeiro.

Prêmio Saturno 1986 (Academy of Science Fiction, Fantasy & Horror Films, EUA)

Venceu na categoria de melhor ator (Michael J. Fox), melhor filme de ficção científica e melhores efeitos especiais.

Indicado nas categorias de melhor figurino, melhor diretor, melhor canção, melhor ator coadjuvante (Crispin Glover e Christopher Lloyd), melhor atriz coadjuvante (Lea Thompson).



segunda-feira, 18 de outubro de 2010

FURACÃO É TOP

O Atlético Paranaense lança uma nova campanha publicitária nos principais jornais do Paraná ressaltando a conquista pelo 11º ano consecutivo do Prêmio Top of Mind, promovido pela Revista Amanhã. O clube foi vencedor como Destaque Serviço na categoria Time de Futebol do Paraná, com a lembrança de 36,8% dos paranaenses. A campanha foi desenvolvida pela agência Trade Marketing e destaca ainda a diferença nas indicações ao CAP sobre o Coritiba, segundo colocado na premiação, com a lembrança de 18,7% dos entrevistados. O anúncio ainda reforça o conceito "Nossa força é a sua paixão", slogan publicitário já presente num comercial de TV do Atlético Paranaense, que inclui a perspectiva de juventude, modernismo e raça, características típicas da torcida atleticana e da própria forma de gestão do clube.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

NOVA ENQUETE

E aí, pessoal, temos nova enquete no blog. Agora é sobre filmes dos anos 80. Vote, que no final haverá um post especial sobre o filme escolhido, além de vídeos do mesmo.
Um abração e obrigado pela visita!

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

FÚRIA DE TITÃS

Cumprindo o prometido, aqui vai o post sobre a banda mais votada pelos incríveis 7 leitores desta porcaria: Titãs!


Titãs é uma banda de rock brasileira formada em São Paulo, na década de 1980. Ativa há mais de 25 anos, tornou-se uma das quatro maiores bandas do BRock, ao lado de Legião Urbana, Os Paralamas do Sucesso, e Barão Vermelho. Algumas de suas músicas de maior sucesso são Sonífera Ilha, Flores, Polícia, Comida, Go Back, Domingo, Homem Primata, Bichos Escrotos, Prá Dizer Adeus, Marvin, AA UU, Epitáfio, Diversão, e a mais recente Porque Eu Sei Que é Amor.
A maioria dos integrantes da banda se conheceu no Colégio Equipe, em São Paulo, no final da década de 1970 e, a partir de uma apresentação na Biblioteca Mário de Andrade no ano de 1981, passaram a fazer shows em várias casas noturnas da cidade.
Antes do surgimento dos Titãs do Iê-Iê ,os integrantes da banda,já tocavam em vários grupos.Arnaldo Antunes e Paulo Miklos eram parte da banda Performática,Nando Reis era percussionista da banda Sossega Leão,Branco Mello,Marcelo Fromer e Tony Bellotto formavam o Trio Mamão e as Mamonetes,no qual chegou a se apresentar na televisão,num programa em que Wilson Simonal,após a apresentação dos 3 garotos,disse que eles precisavam evoluir,e que tinham um gosto mais moderno.Sérgio Britto e Marcelo Fromer também chegaram a se apresentar no Chacrinha,sendo "gongados" cantando a música Eu também quero beijar,sucesso de Pepeu Gomes.
O Primeiro show dos ainda Titãs do Iê-Iê ocorreu no dia 28 de Setembro de 1982,no Sesc Pompeia,descrito pelo hoje,baixista e vocalista da banda,Branco Mello,numa sessão maldita pois teria começado muito tarde,sendo esta após á meia-noite.No ínicio a banda contava com visual extravagante com penteados estranhos,maquiagens e ternos coloridos,além de gravatas de bolinhas.Além disso,a primeira formação contava com 9 integrantes,sendo eles Arnaldo Antunes, Branco Mello, Marcelo Fromer, Nando Reis, Paulo Miklos, Sérgio Britto, Tony Belloto, Ciro Pessoa e André Jung,dos quais 6 deles eram vocalistas.Arnaldo,Ciro e Branco eram apenas vocalistas.Sérgio Britto cantava e tocava teclado em algumas músicas.Paulo Miklos e Nando Reis se revezavam no baixo e cantava,Tony e Marcelo tocavam guitarra e violão respectivamente e André Jung tocava bateria.
Em 1984,Ciro Pessoa decide sair da banda,e logo após isso,assinam com a gravadora WEA e gravam seu primeiro disco,agora com o nome oficial de Titãs,retirando o iê-iê,que causavam problemas na fala de apresentadores de rádio e casas de show,pois sempre era confundido com Iê-Iê-Iê,vertente da qual se originou a Jovem Guarda.
Nesse disco,homônimo,estão grandes sucessos da banda como Sonífera Ilha,que foi em 1984,a música mais tocada nas rádios brasileiras,rendendo á banda diversas apresentações em programas do Raul Gil,Chacrinha,entre outros.
Nesse mesmo disco, os Titãs colocaram nas rádios a música "Toda cor", além de uma das mais importantes da história da banda: Marvin. Embora ela faça parte desse disco, não fez sucesso naquele momento, fato que ocorreria quatro anos mais tarde, quando os Titãs lançaram uma versão mais técnica e melhorada da música. O mesmo fato aconteceria com outra faixa do disco, Go Back.
Após um show no Rio de Janeiro, no final de 1984, os Titãs decidiram substituir o baterista André Jung por Charles Gavin. Há tempos a banda não estava satisfeita com a forma com que André tocava e, conforme a insatisfação com ele aumentava, crescia também a admiração por Charles Gavin, baterista que estava naquele momento ensaiando com o RPM, e que também já tinha feito parte do grupo Ira!. A notícia de que seria substituído na banda não agradou André, pois ele pretendia passar o ano novo com sua namorada no Rio de Janeiro e celebrar o sucesso da canção "Sonífera Ilha". Com a decisão da banda, André voltou para São Paulo e dois dias depois entrou para o grupo Ira!. Outro músico que não ficou satisfeito foi Paulo Ricardo, que descobriu que Charles Gavin tinha saído do RPM ao assistir um programa de TV, que mostrava a preparação do Titãs para um show, já com Charles entre seus integrantes. Este fato deixou um clima tenso entre o baixista e vocalista do RPM e o novo baterista dos Titãs.
Os Titãs gravaram seu segundo disco em 1985: o álbum Televisão, produzido por Lulu Santos, também não fez grande sucesso mas serviu para colocar a faixa-título nas rádios, além da música Insensível. Os Titãs ainda não conseguiam colocar no disco todo o peso que a banda tinha em palco e, além disso, a produção de Lulu Santos não agradou muito a banda. A ideia do disco, de que cada faixa representasse um canal televisivo, também contribuiu para o fato de que o disco não tivesse uma unidade maior.
Em novembro de 1985, Tony Bellotto e Arnaldo Antunes foram presos (o primeiro por porte e o segundo por porte e tráfico de heroína). Bellotto foi libertado sob fiança. Arnaldo Antunes, por sua vez, permaneceu atrás das grades por mais tempo, sendo libertado após um mês.
O episódio teve um grande impacto na banda. Ofertas de shows escassearam e os Titãs perderam sua aura de "inocência" diante da mídia.
Após esses acontecimentos, os Titãs entraram novamente em estúdio, cuja principal mudança veio na parte da produção do disco, que ficou a cargo de Liminha, o principal produtor da época. As relações entre a banda e o produtor não eram das melhores, devido a uma declaração de Branco Mello de 1985 em que dizia que "todos os discos que Liminha produzia pareciam iguais" e também "que era bom mesmo que Liminha não produzisse a banda". O produtor, ao saber disso, não perdeu a chance de jogar as declarações na cara da própria banda, antes de aceitar assumir o projeto. Após o mal-entendido, o grupo e o produtor iniciaram uma grande parceira, que também se repetiria nos próximos três discos da banda.
Liminha conseguiu fazer com que a banda colocasse em disco todo o peso dos shows. Também foi o primeiro produtor que realmente teve coragem de sugerir mudanças em algumas faixas, coisa que até aquele momento a banda não aceitava.
Em junho sai o disco "Cabeça Dinossauro", o disco que mais tarde em 1997 seria considerado pela revista Bizz como o melhor disco de pop/rock produzido no país. O disco trouxe a banda mais pesada e mais agressiva em suas letras, com influência punk e letras contundentes que não poupavam as principais instituições da sociedade brasileira ("Estado violência", "Polícia", "Família" e "Igreja"). A canção "Igreja" chegou a causar discordância na banda: enquanto a maior parte dos integrantes considerava a canção genial, Arnaldo Antunes não se sentia bem com os versos "Eu não gosto de padre, eu não gosto de madre, eu não gosto de frei... Eu não entro na igreja, não tenho religião...". Também havia divergências religiosas entre dois integrantes: Arnaldo sempre declarou acreditar em Deus, ao contrário do baixista Nando Reis (autor da canção), que sempre se declarou ateu. Devido a isso, sempre que a canção era tocada, o vocalista se retirava do palco, em um silencioso protesto.
Devido ao tom agressivo, "Cabeça..." foi praticamente barrado nas rádios e na televisão, porém a situação começava a mudar. Após um começo de turnê desapontador (shows para 30 ou menos pessoas), as apresentações cada vez mais agressivas passaram a atrair milhares de pessoas.
O marketing espontâneo não demorou muito e, por fim, os Titãs ganharam seu primeiro disco de ouro. Sem outra alternativa, as emissoras se renderam ao sucesso e começaram a tocar. Algumas se davam ao luxo de pagar multas para tocar as faixas censuradas, como "Bichos Escrotos".
"Cabeça Dinossauro" abriu várias portas para os Titãs. Além do aumento do número de shows, do cachê e da atenção da mídia em cima do trabalho do grupo, a última faixa do disco abriu portas para uma nova sonoridade que seria muito utilizada no disco seguinte da banda. "O quê?", 13º faixa do álbum, foi gravada de forma diferente das demais do disco. Nela foram utilizados samplers, além de bateria eletrônica. Sua gravação durou uma semana, e o resultado agradou tanto à banda quanto aos fãs.
Era dessa forma que os Titãs estavam no ano de 1987. O último disco era aclamado por público, crítica e artistas de várias estirpes da música, como Caetano Veloso e Renato Russo.
A glória e a descoberta de novos caminhos sonoros estimulou a banda a entrar em estúdio para gravar seu 4º disco, Jesus não tem dentes no país dos banguelas. Curiosidade: os lados A e B do LP foram batizados de Lado J e Lado T, para que o público não ouvisse automaticamente o lado onde estariam apenas os grandes sucessos. A utilização de samplers e bateria eletrônica foi constante nas primeiras 7 faixas do disco, causando grande revolução sonora. Dentre as faixas, destacam-se a faixa-título, Corações e mentes e Comida, enquanto as outras seguiam a linha ditada pelo disco anterior, como em Lugar Nenhum, Nome aos Bois e Desordem.
O disco seguiu o ritmo de vendas do disco anterior, e colocou de vez os Titãs entre as grandes bandas nacionais, graças ao sucesso da parceria com Liminha. O produtor chegou a ser considerado o "9º titã", devido às participações em shows do grupo paulista.
Após algumas apresentações internacionais, a banda gravou ao vivo uma seleção de músicas antigas e lançou o álbum "Go Back", em 1988.
O auge da parceria Titãs-Liminha consolidou-se em "Õ Blésq Blom", uma das produções mais populares até então. Seus principais sucessos eram "Miséria", "Flores", "O Pulso" e "32 Dentes". Um dos destaques curiosos deste trabalho foi a participação especial do casal de repentistas pernambucanos Mauro e Quitéria, descobertos pela banda numa praia de Recife.
Lançado em 1991, na baixa do mercado fonográfico brasileiro oriunda da crise econômica do governo Fernando Collor de Mello, "Tudo ao Mesmo Tempo Agora" foi um baque para os críticos, defensores incondicionais da banda.
O disco marca uma retomada da estética de "Cabeça Dinossauro", no entanto mais cru, com mixagem irregular e canções escatológicas. Num arroubo de confiança, os próprios integrantes produziram o disco e o fracasso comercial do trabalho foi possivelmente o estopim para a saída de Arnaldo Antunes, que passou a se dedicar a uma carreira solo.
"Titanomaquia" de 1993 continuou o trabalho anterior, com uma instrumentação "pesada" e letras escatológicas, mas com a novidade de contar com a produção de Jack Endino, produtor de bandas importantes como o Nirvana, Soundgarden e Skunkworks, 3° álbum solo de Bruce Dickinson, vocalista do Iron Maiden. A mídia se mostrou mais receptiva, mas as vendagens continuaram modestas.
Após passar o ano de 1994 de férias, os Titãs voltaram em 1995 para lançar um novo disco. Domingo trouxe um Titãs menos escatológico, porém com um som ainda pesado. O disco serviu para que a banda acabasse com os rumores de que iria se separar. Nesse disco, os Titãs fizeram sua primeira cover.
Em 1997, para comemorar os 15 anos de carreira, a banda aceitou participar do projeto Acústico MTV. O CD e vídeo, gravado no Teatro João Caetano, no Rio de Janeiro, chegou ao impressionante número de 1,7 milhões de cópias, mostrando um lado desconhecido do grupo: os sete integrantes, junto com o produtor Liminha, tocando instrumentos desplugados, em ritmo menos barulhento.
Além de ser o Acústico mais vendido do Brasil, também contou com grupos de cordas e metais. O disco também trouxe várias participações especiais: o cantor argentino Fito Paez e o reggaeman Jimmy Cliff, além das cantoras Marisa Monte, Marina Lima e Rita Lee. As duas últimas, gravaram sua participação em estúdio. Destaque também para o ex-titã Arnaldo Antunes, que também participou do disco na canção "O Pulso". Para a crítica e maioria dos antigos fãs, esse foi o último disco considerado bom da banda. O sucesso do disco foi bastante refletido nos dois discos seguintes.
Aproveitando-se do sucesso do disco anterior, a banda lançou em 1998 Volume Dois, uma espécie de continuação do "Acústico", com releituras de outros sucessos e faixas inéditas. Entre os principais destaques estavam as inéditas Sua Impossível Chance e Amanhã Não Se Sabe e a releitura de Insensível, do segundo disco da banda. Porém, o boom veio com a regravação de É Preciso Saber Viver, um antigo sucesso de Roberto Carlos, que consolidou o ótimo desempenho do álbum, que chegou a 800 mil cópias. A crítica mostrou-se menos receptiva, chegando a alegar que a banda teria se vendido ao mercado.
A banda recebeu o Troféu Imprensa do mesmo ano, como Melhor Conjunto Musical de 1998.
Em 1999, veio o disco As Dez Mais, o primeiro trabalho inteiramente não-autoral. Com dez faixas, sendo regravações de cantores como Tim Maia, Roberto Carlos e Raul Seixas, e bandas como Legião Urbana e Ultraje a Rigor.
"As Dez Mais" também teve sucesso de vendas, com 500 mil cópias, porém a crítica reviveu sua virulência dos tempos de Tudo Ao Mesmo Tempo Agora. A maior parte das críticas foi contra a regravação de Pelados Em Santos, sucesso dos Mamonas Assassinas que ajudou a alavancar as vendas dos Titãs. Outros também disseram novamente que a banda havia "se vendido" ao mercado.
Em 2001, casa nova: os Titãs assinaram com a Abril Music e estavam prestes a iniciar a gravação de mais um trabalho. Porém, no dia 11 de Junho de 2001, o guitarrista Marcello Fromer foi atropelado por uma moto em São Paulo e morreu dois dias depois.
Pensou-se na época que a morte de Fromer seria o fim da banda. João Augusto, então diretor da Abril Music, chegou a declarar que concordaria com qualquer decisão, caso a banda anunciasse uma possível separação. Porém, eles decidiram seguir em frente.
Fromer era o responsável pela guitarra base da banda. Com o início das gravações de A Melhor Banda de Todos os Tempos da Última Semana, houve dúvidas sobre a gravação: Tony Bellotto, guitarrista solo, pensou em gravar todas as guitarras do disco, porém mudou de ideia.Chegou-se a propor que Paulo Miklos e Branco Mello se revezassem no instrumento, porém a decisão final foi convidar o músico Emerson Villani, que já tinha tocado com a banda durante alguns shows e turnês, inclusive substituindo Marcelo no ano de 1998, quando ele foi convidado para comentar a Copa do Mundo FIFA de 1998 pelo canal SporTV.
O repertório permaneceu inalterado: as 16 faixas já haviam sido escolhidas antes da morte de Fromer.
Seus principais sucessos foram as canções A melhor banda de todos os tempos da última semana,O Mundo é Bão, Sebastião!, Isso e Epitáfio. Esta última foi o maior sucesso dos Titãs em 2002.
Agenda cheia, grandes premiações, grande sucesso, porém uma pessoa não estava em sintonia com as alegrias e ambições futuras da banda.
Nando Reis, o baixista, declarou em 2002 que não se sentia preparado para gravar mais um disco com a banda, alegando que as mortes do guitarrista Marcelo Fromer e também da cantora Cássia Eller, grande amiga do músico, ainda o abalavam muito.
Na ocasião, a saída foi oficializada, ainda que o baixista nunca tenha dito aos companheiros que estava pulando fora. O processo de separação já existia desde 1993, quando Nando não conseguiu se adaptar ao estilo pesado do disco Titanomaquia, ao mesmo tempo em que gravava com artistas da MPB.
No dia 9 de setembro, a banda e o músico lançaram comunicados no site oficial falando sobre as razões da separação.
Em 2003, os Titãs lançaram o disco Como estão vocês?. O disco não vendeu tanto quanto o último, porém seguiu a linha pop/rock, que a banda assumira no disco anterior. O álbum conseguiu emplacar três sucessos, "Eu não sou um bom lugar", "Enquanto houver sol" e "Provas de amor".
Recentemente, em 2005, lança o quarto disco ao vivo de sua história, e o primeiro gravado no Brasil, "MTV Ao Vivo", com algumas músicas dos 25 anos de história da banda e com as inéditas "Vossa Excelência" (composta em meio ao Escândalo do Mensalão), "Anjo Exterminador" e "O Inferno São Os Outros".
É inegável que os Titãs, graças a seus discos clássicos da segunda metade dos anos 1980, têm lugar de destaque na história da música popular brasileira da segunda metade do século XX, bem como continuam influenciando bandas contemporâneas.
Jovens artistas brasileiros que se destacam por seu conteúdo "engajado" e letras "inconformistas" são também corriqueiramente associados aos Titãs, principalmente da fase Cabeça Dinossauro.
Em 2007, os Titãs completam 25 anos de carreira, comemorados com uma série de shows junto com os Paralamas do Sucesso, que também completam 25 anos de carreira. A série de shows, que se estendeu pelo ano de 2008, culminou em um espetáculo realizado na Marina da Glória, Rio de Janeiro, em janeiro de 2008, e lançado em CD e DVD intitulado Paralamas e Titãs: Juntos e Ao Vivo.
Em 2009, Branco Mello confirma no site oficial dos Titãs a estreia, em fevereiro, do filme A Vida Até Parece uma Festa. Exibido no circuito paulistano, o filme dirigido por Branco Mello e Oscar Rodrigues Alves recebeu elogios da crítica especializada; especialmente da Revista Veja que deu três estrelas para o documentário. No dia 01º de Outubro de 2009, o documentário é eleito o melhor do ano na categoria Filme/Documentário de música do VMB.
Após 6 anos sem lançar um disco de estúdio (o mais longo período da carreira da banda), na primeira quinzena de junho de 2009 foi lançado Sacos Plásticos, produzido por Rick Bonadio e lançado por sua gravadora, a Arsenal Music (com distribuição da Universal Music). O disco marca a entrada da banda em um novo selo, depois de seis anos pela Sony BMG.
Bonadio ficou conhecido por produzir bandas de hardcore, popcore e, recentemente, emocore, como as bandas Charlie Brown Jr., Tihuana, CPM 22, Hateen, NX Zero, Fresno, entre outras. Além disto, também foi produtor dos extintos Ira! (nos álbuns Acústico MTV e Invisível DJ) e Mamonas Assassinas (sendo apelidado por eles de "Creuzebek").
Os dois primeiros singles do disco são "Antes de Você" e "Porque Eu Sei Que é Amor", ambas na voz de Paulo Miklos. As canções foram incluídas nas trilhas sonoras de duas telenovelas da Rede Globo: Caras & Bocas (19h) e Cama de Gato (18h), respectivamente. A trama das 18h ainda tem como tema de abertura "Pelo Avesso", do disco Como Estão Vocês? (2003), na voz de Sérgio Britto.
A banda dispensou seus músicos de apoio, tornando-se apenas um quinteto. Branco Mello, vocalista, assume o baixo em definitivo (em outras turnês, Branco tocava apenas em algumas músicas). Sérgio Britto, tecladista e vocalista, também se divide entre o teclado e o baixo. O também vocalista Paulo Miklos, por sua vez, assume a guitarra rítmica. Tony Bellotto e Charles Gavin continuam como, respectivamente, guitarrista solo e baterista.
Sacos Plásticos foi o disco da banda que contou com o maior número de vídeoclipes em toda a história dos Titãs. Ao todo, foram 5 clipes; Antes de Você, Porque Eu Sei Que é Amor, A Estrada, Amor Por Dinheiro e Quanto Tempo (a ser dirigido pela atriz Malu Mader, esposa de Tony Bellotto).
No dia 12 de fevereiro de 2010, os Titãs anunciaram em seu site oficial que o baterista Charles Gavin estaria deixando a banda por motivos pessoais.[1] Os outros quatro músicos continuarão com seus compromissos relacionados à turnê do álbum Sacos Plásticos, e o baterista contratado para acompanhar a banda é Mario Fabre. Segundo o guitarrista Tony Bellotto, Charles Gavin saiu da banda porque "É difícil envelhecer num grupo de rock".
Dias após a esse comunicado, Gavin disse em entrevista, que sua saída já estava acertada desde a pré-produção do álbum Sacos Plásticos e durante a turnê com Os Paralamas do Sucesso. Um dos problemas de Charles, foram sintomas de pânico e depressão, além do grande desgaste de 25 anos de turnês. Gavin pensou em se licenciar durante a Sacos Plásticos Tour (2009-2010), mas disse que não dava pra ficar longe dos Titãs com tantos compromissos.





quarta-feira, 6 de outubro de 2010

VARIEDADES DA FAUNA BRASILEIRA

Em minhas andanças por aí, fotografei alguns exemplares típicos de nosso país no que diz respeito às árvores brasileiras.
Abaixo seguem algumas delas (clique nas imagens para vê-las ampliadas):

Abacateiro

















Bananeira

















Cajueiro












Jaqueira













Limoeiro













Pessegueiro













Pinheiro

















E uma descoberta incrível, que entrará para os anais da Botânica mundial...

Com vocês, o Caloteiro

terça-feira, 5 de outubro de 2010

BAIRROS DE CURITIBA EM VERSOS

Excelente apresentação do humorista Fabio Lins sobre minha amada Curitiba. Para quem não conhece a cidade ou não é de lá, fica mais complicado de entender, mas para os "nativos", como eu, é uma ótima oportunidade de matar as saudades da melhor cidade do mundo!!

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

ANOS 80 BOMBOU!!

Na primeira enquete realizada mundialmente aqui neste blog deu o lógico: das três décadas mencionadas, 70, 80 e 90, a que melhor representou o melhor da música no mundo foi, disparada, a dos anos 80!!
Sendo assim, aqui vai um clipe de uma das músicas mais tocadas na época. Deleitem-se e matem a saudade de um tempo que foi (bom pra caralho) e que não volta mais!!
E atenção, já temos nova enquete no ar!! Participem!! A banda vencedora terá postagem especial e vídeos publicados para relembrar!!

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

NOSSA FORÇA É A SUA PAIXÃO

Com esse 'slogan', o Atlético 'Furacão' Paranaense inicia sua nova campanha de marketing. Abaixo está o primeiro vídeo disponibilizado. Assista e perceba que ser rubro-negro não é para qualquer um, pois rubro-negro é quem tem raça e não teme a própria morte!

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

NOVIDADES NO FRONT

Resolvi inovar este blog jogado às moscas e incluí uma enquete logo aí ao lado. Sendo assim, vote, mas vote muito!! Hahaha!!
Um abraço!!

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

ATLÉTICO "FURACÃO" PARANAENSE

A Petrobras, patrocinadora do Campeonato Brasileiro, divulgou o documentário da torcida atleticana. O vídeo foi gravado no último fim de semana.
Ele traz imagens do ensaio de bateria da Torcida Organizada Os Fanáticos, no sábado, e da vitória sobre o Flamengo, pela 15ª rodada, no domingo. "A pegada da torcida do Atlético impressiona. Quando ela manda sua energia, a Baixada vira mesmo um Caldeirão", comenta Fabiano Tatu, torcedor símbolo do Brasileirão Petrobras 2010, no início do vídeo.
Entre os entrevistados, estão o vice-presidente da Fanáticos, Juliano Suk; o comentarista esportivo Mauro Singer; o ídolo Barcímio Sicupira; e a presidente da Comissão do Mosaico Furacão, Mariana Monteiro.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

PARA RELER E RELER E RELER...

Um dos melhores poemas já escritos no mundo, eis aqui a tradução perfeita de The Raven, de Edgar Allan Poe, por Fernando Pessoa. Deliciem-se agora ou "nunca mais".









O CORVO

Numa meia-noite agreste, quando eu lia, lento e triste,
Vagos, curiosos tomos de ciências ancestrais,
E já quase adormecia, ouvi o que parecia
O som de algúem que batia levemente a meus umbrais.
"Uma visita", eu me disse, "está batendo a meus umbrais.
É só isto, e nada mais."

Ah, que bem disso me lembro! Era no frio dezembro,
E o fogo, morrendo negro, urdia sombras desiguais.
Como eu qu'ria a madrugada, toda a noite aos livros dada
P'ra esquecer (em vão!) a amada, hoje entre hostes celestiais -
Essa cujo nome sabem as hostes celestiais,
Mas sem nome aqui jamais!

Como, a tremer frio e frouxo, cada reposteiro roxo
Me incutia, urdia estranhos terrores nunca antes tais!
Mas, a mim mesmo infundido força, eu ia repetindo,
"É uma visita pedindo entrada aqui em meus umbrais;
Uma visita tardia pede entrada em meus umbrais.
É só isto, e nada mais".

E, mais forte num instante, já nem tardo ou hesitante,
"Senhor", eu disse, "ou senhora, decerto me desculpais;
Mas eu ia adormecendo, quando viestes batendo,
Tão levemente batendo, batendo por meus umbrais,
Que mal ouvi..." E abri largos, franqueando-os, meus umbrais.
Noite, noite e nada mais.

A treva enorme fitando, fiquei perdido receando,
Dúbio e tais sonhos sonhando que os ninguém sonhou iguais.
Mas a noite era infinita, a paz profunda e maldita,
E a única palavra dita foi um nome cheio de ais -
Eu o disse, o nome dela, e o eco disse aos meus ais.
Isso só e nada mais.

Para dentro então volvendo, toda a alma em mim ardendo,
Não tardou que ouvisse novo som batendo mais e mais.
"Por certo", disse eu, "aquela bulha é na minha janela.
Vamos ver o que está nela, e o que são estes sinais."
Meu coração se distraía pesquisando estes sinais.
"É o vento, e nada mais."

Abri então a vidraça, e eis que, com muita negaça,
Entrou grave e nobre um corvo dos bons tempos ancestrais.
Não fez nenhum cumprimento, não parou nem um momento,
Mas com ar solene e lento pousou sobre os meus umbrais,
Num alvo busto de Atena que há por sobre meus umbrais,
Foi, pousou, e nada mais.

E esta ave estranha e escura fez sorrir minha amargura
Com o solene decoro de seus ares rituais.
"Tens o aspecto tosquiado", disse eu, "mas de nobre e ousado,
Ó velho corvo emigrado lá das trevas infernais!
Dize-me qual o teu nome lá nas trevas infernais."
Disse o corvo, "Nunca mais".

Pasmei de ouvir este raro pássaro falar tão claro,
Inda que pouco sentido tivessem palavras tais.
Mas deve ser concedido que ninguém terá havido
Que uma ave tenha tido pousada nos meus umbrais,
Ave ou bicho sobre o busto que há por sobre seus umbrais,
Com o nome "Nunca mais".

Mas o corvo, sobre o busto, nada mais dissera, augusto,
Que essa frase, qual se nela a alma lhe ficasse em ais.
Nem mais voz nem movimento fez, e eu, em meu pensamento
Perdido, murmurei lento, "Amigo, sonhos - mortais
Todos - todos já se foram. Amanhã também te vais".
Disse o corvo, "Nunca mais".

A alma súbito movida por frase tão bem cabida,
"Por certo", disse eu, "são estas vozes usuais,
Aprendeu-as de algum dono, que a desgraça e o abandono
Seguiram até que o entono da alma se quebrou em ais,
E o bordão de desesp'rança de seu canto cheio de ais
Era este "Nunca mais".

Mas, fazendo inda a ave escura sorrir a minha amargura,
Sentei-me defronte dela, do alvo busto e meus umbrais;
E, enterrado na cadeira, pensei de muita maneira
Que qu'ria esta ave agoureia dos maus tempos ancestrais,
Esta ave negra e agoureira dos maus tempos ancestrais,
Com aquele "Nunca mais".

Comigo isto discorrendo, mas nem sílaba dizendo
À ave que na minha alma cravava os olhos fatais,
Isto e mais ia cismando, a cabeça reclinando
No veludo onde a luz punha vagas sobras desiguais,
Naquele veludo onde ela, entre as sobras desiguais,
Reclinar-se-á nunca mais!

Fez-se então o ar mais denso, como cheio dum incenso
Que anjos dessem, cujos leves passos soam musicais.
"Maldito!", a mim disse, "deu-te Deus, por anjos concedeu-te
O esquecimento; valeu-te. Toma-o, esquece, com teus ais,
O nome da que não esqueces, e que faz esses teus ais!"
Disse o corvo, "Nunca mais".

"Profeta", disse eu, "profeta - ou demônio ou ave preta!
Fosse diabo ou tempestade quem te trouxe a meus umbrais,
A este luto e este degredo, a esta noite e este segredo,
A esta casa de ância e medo, dize a esta alma a quem atrais
Se há um bálsamo longínquo para esta alma a quem atrais!
Disse o corvo, "Nunca mais".

"Profeta", disse eu, "profeta - ou demônio ou ave preta!
Pelo Deus ante quem ambos somos fracos e mortais.
Dize a esta alma entristecida se no Éden de outra vida
Verá essa hoje perdida entre hostes celestiais,
Essa cujo nome sabem as hostes celestiais!"
Disse o corvo, "Nunca mais".

"Que esse grito nos aparte, ave ou diabo!", eu disse. "Parte!
Torna á noite e à tempestade! Torna às trevas infernais!
Não deixes pena que ateste a mentira que disseste!
Minha solidão me reste! Tira-te de meus umbrais!
Tira o vulto de meu peito e a sombra de meus umbrais!"
Disse o corvo, "Nunca mais".

E o corvo, na noite infinda, está ainda, está ainda
No alvo busto de Atena que há por sobre os meus umbrais.
Seu olhar tem a medonha cor de um demônio que sonha,
E a luz lança-lhe a tristonha sombra no chão há mais e mais,
Libertar-se-á... nunca mais!

segunda-feira, 2 de agosto de 2010

COMEÇAR DE NOVO...

Passaram-se duas semanas e eis que se foram as "férias" de julho.
No meu tempo de escola, tínhamos um mês de férias em julho, três meses no verão e aprendíamos muito mais que estes 'alunos' de hoje em dia.
Mas afinal, de quem é a culpa? Do sistema educacional falido que por aí impera? Dos pais, que não têm mais tempo de acompanhar a vida escolar dos filhos, pois estão preocupados em ganhar mais e mais para mandá-los à Disney ao invés de investirem na real educação dos mesmos? Dos próprios alunos, que não têm mais perspectivas ou que se acomodaram, uma vez que seus pais entregam tudo de graça sem fazer por merecer?
Sinceramente, não sei a resposta, mas sei que tudo voltou ao (a)normal e que tenho que tornar a acordar cedo todos os dias.
Que a Santa Paciência me ajude!!
Amém!!

terça-feira, 27 de julho de 2010

CONSIDERAÇÕES RUBRO-NEGRAS

Lendo a Gazeta do Povo, jornal mais lido no Paraná e um dos mais lidos no Brasil, encontrei esta coluna do grande Cristóvão Tezza, Atleticano de carteirinha, sobre o domingo esportivo. Entre Ferraris rubras e Furacões rubro-negros, o autor de 'Trapo', 'Uma noite em Curitiba' e, mais recentemente, 'Filho eterno', expõe suas considerações. Leiam e deleitem-se.

UM DOMINGO MARCANTE

          Acompanhei dois fatos esportivos marcantes no último domingo: a nova marmelada da Ferrari e a bela vitória do Atlético. Sobre a Fórmula 1, tudo já se disse sobre esse subesporte. A ordem para Felipe Massa deixar Alonso ultrapassá-lo e a obediência tranquila que se seguiu são desses cinismos exemplares que falam por si. As justificativas que se ouvem, com um sorriso de malandragem ou suposta inteligência – a Fórmula 1 é assim mesmo, tem muito dinheiro na jogada, eles correm em equipe, o importante é quem está na frente somar pontos, e por aí vai – são ofensivas ao mais elementar senso moral que nos move. O mais inacreditável é que a milionária federação que gere esse esporte multou em um punhado de dólares a Ferrari. Sim, eles levaram uma multa! Que, aliás, a Ferrari já deve ter pago rindo. Isto é, reconhece-se que houve fraude, mas ela pode ser paga – e fica tudo por isso mesmo.
          É incrível, mas talvez a legislação disciplinar do futebol tivesse algo a ensinar à turma que brinca de autorama. Num caso como esse, em que todos os detalhes da fraude estão documentados, retiram-se simplesmente os pontos ganhos pelos dois corredores, que além disso ficariam fora de uma ou duas corridas subsequentes. Não é o que acontece no futebol? Basta­­ria uma punição dessas para moralizar a coisa. O cronista é ingênuo? Acho que sim – mas é dessas ingenuidades simples e básicas que fazem bem.
          Mas vamos falar de coisa boa: a maravilhosa recuperação do Atlético. Para quem vem sofrendo há muito tempo, ano a ano lutando para não cair, a partida contra o Santos já ficou marcada como uma das grandes alegrias da minha vida de torcedor. Que jogo bonito! E para não dizer que tudo era fogo de palha, a vitória mais difícil contra o Goiás mostrou mesmo que o Atlético está se encontrando e tem fôlego, time e categoria para muito mais.
          Duas vezes dois a zero. Foram quatro belos gols, mais uma dúzia de gols perdidos, e pondo na conta um gol fantástico de Bruno Mineiro, depois de Alex Mineiro ajeitar a bola com a mão. Pena que não foi na Copa do Mun­­do: lá teria valido. E, milagre, não levamos nenhum gol. Contra o Santos, porque eles praticamente não conseguiam chegar; contra o Goiás, levamos uma boa dose de sorte, com bolas na trave e rebatidas inverossímeis na pequena área duas ou três vezes – mas estava mesmo na hora de o Atlético ter um pouco de sorte nos momentos difíceis do jogo. O fato é que o time foi consistente nas duas partidas.
          E o melhor: jogando bo­­nito, cadenciado, com elegância, sem pancadaria ou ataques de nervos. Foram dois jogos de poucas faltas – contra o Goiás, nenhum cartão amarelo. E a atenção permanente no jogo, que segura as vitórias até o último instante. Sim, sei que o futebol é a mais insegura das artes, as partidas se equilibram num fio de arame, mas aposto que esse Atlético vai longe neste ano.

segunda-feira, 26 de julho de 2010

AI DIÃS COL TU SEI RELOU

No meu inglês perfeito, estou aqui só para dizer 'relou'!!
Esta semana começo a voltar ao batente, de leve, mas volto. Mas semana que vem volto com força total, aí dá-lhe estrada: Itajaí-Balneário-Itapema-Floripa sem tirar de dentro.
Um beijo na boca do estômago e até mais!!

quinta-feira, 22 de julho de 2010

BLOG NOVO NA REDE

Gostaria de convidá-los a visitar o blog de uma professora amiga minha: Soraia - prof. de redação de 1° time!! Se quiser visitar, clique aqui para acessar.

terça-feira, 20 de julho de 2010

FELIZ DIA DO AMIGO

A todos aqueles que se consideram meus amigos, e a todos os que não se consideram, mas que são amigos de outros, o meu desejo de um Feliz Dia do Amigo!!

segunda-feira, 19 de julho de 2010

SERTANEJO DE MATAR

Quem me conhece sabe o quanto abomino a tal nova música sertaneja (não me refiro aos tradicionais - Tonico e Tinoco, Sérgio Reis, etc.), mas esta nova que surgiu realmente é de matar!!

domingo, 11 de julho de 2010

!VIVA, ESPAÑA!

Un gol de Iniesta en el minuto 115 de la prórroga dio el título de campeón del mundo a España. Por primera vez en la historia, La Roja lucirá en su camiseta una estrella de selección campeona después de una vibrante final culminada en la prórroga con un gol del manchego. En el minuto 116', Cesc abrió para Iniesta y el jugador del Barcelona definió con un latigazo cruzado que superó a Stekelemburg y concedió el Mundial a España.

quarta-feira, 7 de julho de 2010

ÉPICA Y CON MUCHO ARTE

Si el fútbol es un depósito de sentimientos, España es una gozada. Si el fútbol es arte y épica, España es el equipo a seguir. En su partido frente a la temible y deslumbrante Alemania lo tuvo todo, fue sublime en el juego y también supo remangarse cuando fue preciso. Gobernó de etiqueta y con jerarquía a una selección que parecía inabordable, por su presente y su heráldico pasado. El conjunto de Del Bosque lo hizo como es él, con su forro más auténtico, fiel a la pelota, con ese delicioso punto de descaro que define a este grupo de desacomplejados futbolistas que han desterrado el escepticismo crónico que despertaba España en un fútbol vertebrado en torno a los clubes. Hoy España es un equipo, el equipo de España, sin banderas ni las ventajistas demagogias de un pasado tenebroso. Lo que parecía una quimera es una realidad. La selección está en una final del Campeonato del Mundo, a un paso de la ensoñación definitiva. Del descorche se encargó Puyol: un gol racial para abrochar un partido operístico. Un hecho que se narrará de generación en generación con la emoción que merece, con voces entrecortadas. Una leyenda imperecedera para una selección con tanto linaje que el próximo domingo se medirá en la cima del mundo a Holanda. El sueño continúa y !que vengan los naranjas!

sexta-feira, 2 de julho de 2010

NÃO FOI DESTA VEZ

Eis que saímos da Copa!! Uma pena, já que é sempre bom torcer por nossa Seleção, mas o importante é que a vida continua e temos mais o que fazer, além de ficar chorando um jogo perdido.
Prefiro chorar por não ter um aumento de salário, por não acertar na Mega (nem jogo, mesmo), por estar uma semana longe dos meus filhos, de saudade do meu pai, que se foi no início do ano, enfim, coisas muito mais importantes.
Então é isso. Vou continuar por aqui, como sempre.
Um abraço a todos!!

quarta-feira, 23 de junho de 2010

...AND IN THIS CORNER...

Não posso deixar de colocar minha opinião a respeito das rusgas entre Dunga e Globo.
Como bom brasileiro, só posso dizer que concordo com o técnico da nossa Seleção, afinal, em todo lugar, em todas as seleções ocorre, se não o mesmo, ao menos quase o mesmo.
A Seleção dos Estados Unidos só faltou levar os 'mariners' para fazer sua segurança, mas ninguém fala nada.
A da França, eliminada de novo, teve jogador demitido antes do jogo decisivo, e, da mesma maneira, ninguém faz alarde.
A África do Sul, anfitriã eliminada ontem, teve homenagens por todo o país e foi ovacionada por sua participação, mesmo que regular: um empate, uma derrota e uma vitória - imagine se é por aqui.
Aí vem a prepotente-toda-poderosa-última-rosquinha-do-pacote - Globo -, só porque o mandatário da Seleção Canarinho decidiu que seus comandados não dariam entrevistas, armar barraco através de seus repórteres incompetentes, puxa-sacos, e, nas palavras do próprio Dunga, 'cagões', uma vez que não assumem suas atitudes e não conseguem levar um "não" na cara.
Que se dane a porra da Globo!! Que morra o insuportável do Galvão!! Que cheire todas o idiota-fã-de-todos Casagrande, pois, com taça ou não, estou com o Dunga até o final!!
E que venha (ou não) o hexa!!

quinta-feira, 17 de junho de 2010

EU SOU POBRE POBRE POBRE DE MARRÉ MARRÉ MARRÉ

Sempre me perguntei o que significa a palavra "pobre".
Segundo fontes fidedignas, a palavra "pobre" veio do latim "pauper", que vem de pau- = "pequeno" e pario = "dou à luz" e originalmente referir-se-ía a terrenos agrícolas ou gado que não produziam o desejado.
Mas pobre também pode significar aquele que sofre de carência material; tipicamente envolvendo as necessidades da vida cotidiana como alimentação, vestuário, alojamento e cuidados de saúde. Ser pobre, neste sentido, pode ser entendido como todo aquele que carence de bens e serviços essenciais.
Mas, na verdade, como fazemos para identificar um pobre?
Alguns dizem que pobre é todo aquele que coloca palha de aço na antena da tv para melhorar a recepção; outros, que é aquele que lambe o lacre dos potes de "iorgute" para não perder nada.
Mas além de todas as definições que existem (que eu espero que vocês coloquem nos comentários), para mim, a melhor é: pobre é todo aquele que sai de casa de calça (jeans ou social - este último caso é pior) e de "Havaianas" no pé! TRISTE!!!
Bom, por enquanto é isso. Aguardo seus comentários com definições de o que é ser pobre!!
Um beijo a todos!!

sexta-feira, 28 de maio de 2010

DESPERTAR

No escuro da noite,
Um barco
Abre a janela
E sente o olhar
Frio e estático
Num sopro mecânico.

Vê... Você e sua
Silhueta dançam
Com a lua cheia.

Depois de abraçar
O sol daquele inverno
Em minh'alma
De romântico eterno,
Fico a vagar pela
Luz simplista da
Aurora Boreal,
Que um dia
Significou algo
Para mim
Em minha vida.

Continuo amando
A brisa leve e sutil
Que emana do seu coração
No breve despertar do adeus.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

CT DO CAJU - A "CASA DA SELEÇÃO" - O MELHOR DO BRASIL

O ponto de partida da Seleção Brasileira, rumo à Copa da África, se dará no melhor centro de treinamentos do Brasil: o CT do Caju, o Centro de Treinamentos do meu amado Atlético 'Furacão' Paranaense. Assista ao vídeo e deleite-se.

domingo, 16 de maio de 2010

COMEMORANDO OS 40

Ontem recebi alguns amigos e familiares para comemorar meus 40 anos, que completo no próximo dia 18/05. Foi muito bom. A costela em fogo de chão ficou a cargo do meu amigo, Chefe Ricardo. Abaixo seguem algumas fotos. Obrigado aos que compareceram.

Para mais fotos, clique aqui.

segunda-feira, 10 de maio de 2010

AINDA SE FAZ HUMOR COM QUALIDADE

Abaixo segue um vídeo com um dos maiores humoristas da atualidade. Vejam, ouçam e divirtam-se!!

segunda-feira, 26 de abril de 2010

NO SUPERMERCADO

Depois que me aposentei, minha mulher insiste que eu a acompanhe quando vai fazer compras no supermercado. Infelizmente, como a maioria dos homens, eu acho que fazer compras é chato e tenho que ficar inventando formas de passar o tempo. E a minha mulher é igual à maioria das mulheres, fica horas fazendo compras.
Resultado: ontem minha mulher recebeu a seguinte carta da administração do supermercado.

Cara Sra. Lima

Durante os últimos seis meses, seu marido vem causando enormes transtornos em nossa loja. Não podemos mais tolerar seu comportamento e, portanto, somos obrigados a proibir sua entrada. Nossas queixas contra seu marido estão listadas abaixo e documentadas através de nossas câmeras de segurança.
  1. 15 de junho: Pegou 24 caixas de preservativos e colocou-as nos carrinhos de compras de outros consumidores enquanto não prestavam atenção.
  2. 2 de julho: Acertou todos os alarmes da seção de relógios para tocarem a intervalos de 5 minutos.
  3. 7 de julho: Fez uma trilha de molho de tomate pelo chão da loja indo até o banheiro feminino.
  4. 19 de julho: Dirigiu-se a uma funcionária e disse em tom oficial: "Código 3 na seção de Utilidades Domésticas. Dirija-se imediatamente para lá." O que fez com que a funcionária abandonasse seu posto e fosse repreendida pelo gerente, o que resultou em um grave incidente com o sindicato dos empregados.
  5. 14 de agosto: Moveu o aviso de "Cuidado - Piso Molhado" para a seção de carpetes.
  6. 15 de agosto: Disse para as crianças que acompanhavam os clientes que elas poderiam brincar na seção de camping se trouxessem travesseiros e cobertores da seção de cama, mesa e banho.
  7. 23 de agosto: Quando um funcionário perguntou se ele precisava de alguma ajuda, ele começou a chorar e gritar: "Porque vocês não me deixam em paz?". O resgate foi chamado.
  8. 4 de setembro: Usou uma de nossas câmeras de segurança como espelho para tirar meleca do nariz.
  9. 10 de setembro: Enquanto examinava armas no departamento de caça, perguntava insistentemente à atendente onde ficavam os remédios para depressão.
  10. 3 de outubro: Movia-se pela loje de maneira suspeita, enquanto cantarolava alto o tema do filme "Missão Impossível".
  11. 6 de outubro: No departamento de automotivos, ficou imitando o gestual da Madonna usando diferentes tamanhos de funis.
  12. 18 de outubro: Escondeu-se atrás de uma prateleira de roupas e quando as pessoas procuravam algum artigo, gritava: "Você me achou!".
  13. 21 de outubro: Cada vez que era dado algum aviso no sistema de som da loja, colocava-se em posição fetal e gritava: "Ah não, aquelas vozes de novo". E, por fim,
  14. 23 de outubro: Foi a um dos provadores, fechou a porta, esperou alguns minutos e então gritou: "Ei, não tem papel higiênico aqui!". Uma de nossas atendentes desmaiou...

domingo, 25 de abril de 2010

GENÉRICOS

Pobre é foda!! Vive dando um jeito de ganhar algum em cima de tudo, e eu não podia ficar de fora quando se trata de Amarula.
Por ser fã incondicional dessa bebida maravilhosa, mas por se tratar de algo que, financeiramente, não posso me dar ao luxo de ter em casa quando bem entender, recorro à versão genérica que, apesar de tudo, fica quase igual ao original.
Tente e comprove.

Ingredientes:

750 ml de  conhaque
1 lata de creme de leite
1 lata de leite condensado
1 colher de sopa de leite em pó
1 colher de chá de essência de baunilha
2 colheres de sopa de chocolate em pó (de preferência, Nescau Power)

Modo de fazer:

Bater tudo no liquidificador e servir (gelado ou não, depende da sua preferência)

sexta-feira, 23 de abril de 2010

DIA MUNDIAL DO ESCOTEIRO

Hoje é comemorado o Dia do Escoteiro. Uma palma escoteira a todos os que acreditam nesse Movimento e fazem valer sua Promessa e sua Lei. Sempre Alerta a todos!!

segunda-feira, 19 de abril de 2010

GANHANDO, PERDENDO, MAS APRENDENDO A JOGAR

Ontem foi um domingo de decisões futebolísticas pelo Brasil. Na minha amada e querida Curitiba teve a decisão do Paranaense que, para minha infelicidade, o título não foi para a Baixada, mas para o Alto da Glória. Não deu para o meu Furacão que, embora siga às vezes ganhando e às vezes perdendo, está sempre aprendendo a jogar.
Descendo um pouco para os lados da Ilha da Magia (e não da Fantasia, como disse uma vez o Xaropão Bueno), não deu para o time do continente, mas para o dos Manezinhos da Ressacada. Fico feliz, pois tenho muito mais amigos Avaianos do que Alvi-Negros, que também segue às vezes ganhando e às vezes perdendo, mas sempre aprendendo a jogar.
E o que dizer do "todo poderoso" São Paulo, que tomou três bagas na espinha?
E o Flamengo? Se bem que um time que tem Wagner Love como ídolo, não merece título nem de futebol de botão. O coitado do Zico deve estar se virando no túmulo!!
E é isso. Fizeram a menina deitar na grama, espalharam alegria, mas também tristeza pelos quatro cantos do país e provaram que, em ano de eleição, um dos dias mais importantes será 11 de maio, quando "nosso" técnico vai indicar o escrete que nos representará na África do Sul.
Que vengan los gringos!!

quinta-feira, 8 de abril de 2010

O NOME DELA É VALDEMAR!!

Esta é uma das melhores pérolas dos Anos 80!! Relembrem e divirtam-se!!

...NAS ONDAS DO RÁDIO...

Esta marcou época!! Uma das melhores bandas de pop rock dos Anos 80!! Dogman, eu também gosto muito do Ira!, certo? Um abração!!

sábado, 3 de abril de 2010

ASSALTANDO A MEMÓRIA

Agora vamos rever um momento muito bacana do rock nacional dos Anos 80. O primeiro Rock in Rio, em 1985. Com vocês, Paralamas do Sucesso!!

quinta-feira, 1 de abril de 2010

MATANDO SAUDADES 4, A RESSURREIÇÃO

Este eu também fui assistir no cinema com meu amigo/irmão, Dogman, lá pelos idos dos Anos 80. Rock N' Roll martelando na cachola!!

quarta-feira, 31 de março de 2010

MATANDO SAUDADES 3, O RESGATE

Caros amigos leitores, aqui vai mais uma pérola para aqueles que viveram os inesquecíveis Anos 80 (com letra maiúscula, sim). Ao Dogman, uma recordação a mais: fomos assistir a esta maravilha no cinema, lembra? (Sem viadagem, claro!) Deleitem-se!! Um beijo na boca do estômago!!

domingo, 28 de março de 2010

MATANDO SAUDADES 2, A MISSÃO

Dancei agarradinho muitas vezes ao som desta música. Bons tempos!!
Bryan Adams, o rei das baladas nos anos 80!! Recordar é viver!!

quinta-feira, 18 de março de 2010

MATANDO SAUDADES

Aproveitando o ensejo do post anterior, que tal relembrarmos um dos momentos mais mágicos da história do rock? Quem viveu, verá!!

terça-feira, 16 de março de 2010

UM TOQUE PRA LÁ DE PESADO

Recentemente, meu amigo Dogman postou um texto sobre a banda Scorpions, uma das melhores bandas de rock de todos os tempos. Lembro que comentei que eu os tinha como toque do meu celular. Sendo assim, aqui vai o toque pra lá de pesado de meu "molecular". Deleitem-se!!

domingo, 14 de março de 2010

CARICATURANDO

Conheci um site muito bacana para quem gosta de fazer brincadeiras com fotos. Clique aqui e divirta-se com fotos suas e de seus amigos!! Abaixo, alguns exemplos do que pode ser feito.
 

sexta-feira, 12 de março de 2010

SORVETE EM UM DIA DE VERÃO

ao chegar em casa, me dei conta de que estava realmente sozinho /
aproveitei para curtir um pouco todos os recantos daquela que foi nossa
morada por tantos anos e que agora não passa de um lugar triste e sombrio /
caminhando por aquele santuário, podia perceber sua mística presença,
que se agigantava à medida em que adentrava aos primórdios de minha memória /
ao passar pela sala - local importante de nosso universo – percebi que não
estava sozinho: do alto, o candelabro, que por muitas noites iluminou
momentos de amor intenso, me espreitava como a uma presa / da parede oposta à
janela que dá para o jardim, dali me questionava se valia a pena viver ou se
a vida não passava de um sentimento surreal, que nos leva à degradação / já
do balcão onde estavam as fotos, que eternizaram instantes mágicos de nossa
existência, seus olhos me procuravam e me chamavam à divagação /
segui caminhando e cheguei ao quarto / lá, mais do que em qualquer
outro local, podia sentir seu perfume, suas mãos macias e ávidas, sua voz
melodiosa - ao menos para mim - entoando cânticos que há muito não ouvia e
que me levavam a um estado de catarse do qual, somente com seus beijos,
poderia me libertar / da parede que ficava atrás da cama, velázquez me
mostrava que luz e sombra podem conviver harmoniosamente, desde que haja
algumas meninas para abrandar tal dicotomia / da prateleira do armário uma
agenda insinuava sua intimidade, seus pensamentos mais recônditos - o que já
não me assusta mais, uma vez que agora nada me impressiona ou tem valor /
fechei os olhos e segui adiante /
passando pelo escritório, senti sua presença em cada centímetro, em
cada livro, em cada folha de papel, em cada página, em cada mundo visitado e
revisitado tantas vezes por olhos, corações e mentes ansiosos por prazer, por
uma realidade que só a ficção pode nos proporcionar / lembrei das vezes em
que insisti para que lesse alguma coisa e quando você, com aquele jeitinho
infantil dizia “leitura me dá sono” e nós ríamos como crianças / ríamos do
passado / vivíamos o presente e, muitas vezes, não nos preocupávamos com o
futuro /
bons momentos aqueles / hoje... só recordações e saudade / saudade de
tudo o que você fazia parte / de tudo o que você dizia / de tudo o que você
acreditava / de tudo o que você amava / saudade de mim / de você / de nossa
vida, que um dia foi para sempre e que acabou como um sorvete em um dia de
verão /

quarta-feira, 10 de março de 2010

HOMENAGEM AO DOGMAN

Amigão, aqui vai uma lembrança de nossas tardes no apartamento da Esteves Junior.

segunda-feira, 8 de março de 2010

RENASCIMENTO


naquele dia eu disse: esta noite será minha última noite / não que eu vá desaparecer, muito pelo contrário, vou aparecer como nunca houvera aparecido / quando ele chegar em casa estarei pronta para o amor, pronta para amar, mesmo que seja minha derradeira ação sobre a terra / tudo besteira, pois não foi a primeira vez que fiz tal promessa nem foi a última, já que, sempre ao fazer uma promessa algo mais forte do que eu me impedia de cumpri-la/ mas não foi o que aconteceu / quando ele chegou, ébrio e cheirando a perfume barato de putas analfabetas, não pude mais, simplesmente não pude mais / fui para o meu quarto, tirei o vestido preto de seda, desfiz o penteado, guardei as jóias, borrei a maquiagem e me coloquei, nua, frente ao espelho / por algum tempo fiquei me observando como se eu fora ele, e pensei: - por que, afinal, não me queres mais? será que já não tenho mais a beleza juvenil que o conquistou, o mesmo viço, a mesma energia, o mesmo fogo de outrora? será que já não mais inspiro descontroladas paixões? será que não mais correspondo àquele amor adolescente? não, definitivamente, não é verdade / com certeza ainda posso despertar todos esses sentimentos, mas, infelizmente, só ele não percebe / então, ainda nua, deitei-me na cama e comecei a percorrer, com minha mão, todo o meu corpo / comecei pelas pernas, passei às coxas, cheguei ao ventre, aproximei-me dos seios e ali me detive por alguns instantes, alisando-os, apalpando-os e imaginando serem minhas mãos as de um amante qualquer, que não quer nada senão me dar prazer e que, depois de findo o ato, sai para nunca mais voltar, o que não acontece há muito tempo / assim fiquei até que, tendo-os intumescidos, não esperei mais e desci minhas mãos até meu sexo / lá chegando, acariciei-me, primeiro vagarosamente, como se fora a primeira vez, depois com mais energia e sofreguidão até que, quase desmaiando de prazer, urrei, gritei, chorei e gozei, gozei como nunca, como sempre quisera haver gozado, senti-me plena, senti-me mulher / durante algum tempo permaneci assim: quieta, chorando o amor que nunca tive, o prazer que nunca senti, a alegria que nunca experimentei / então levantei (as pernas ainda trêmulas), fui até o espelho, uma vez mais me olhei, retoquei a maquiagem, refiz o penteado, recoloquei o vestido, me perfumei e disse a mim mesma: que vá para o inferno/ peguei minha bolsa, as chaves do carro e saí para renascer...