quinta-feira, 30 de julho de 2009

A TODOS LOS PADRES DEL MUNDO

El día de los padres se acerca, y mi homenaje se expresa bajo la forma de una carta que he recibido. Aunque no la haya escribido yo, la firmo como si fuera mía. La envío a todos los padres y a mí también. Espero que les guste.

No me grites. Te respeto menos cuando lo haces. Y me enseñas a gritar a mí también y yo no quiero hacerlo. Trátame con amabilidad y cordialidad igual que a tus amigos. Que seamos familia, no significa que no podamos ser amigos. Si hago algo malo, no me preguntes por qué lo hice. A veces, ni yo mismo lo sé. No digas mentiras delante de mí, ni me pidas que las diga por ti (aunque sea para sacarte de un apuro). Haces que pierda la fe en lo que dices y me siento mal. Cuando te equivoques en algo, admítelo. Mejorará mi opinión de ti y me enseñarás a admitir también mis errores. No me compares con nadie, especialmente con mis hermanos. Si me haces parecer mejor que los demás, alguien va a sufrir (y si me haces parecer peor, seré yo quien sufra). Déjame valerme por mí mismo. Si tú lo haces todo por mí, yo no podré aprender. No me des siempre órdenes. Si en vez de ordenarme hacer algo, me lo pidieras, lo haría más rápido y más a gusto. No cambies de opinión tan a menudo sobre lo que debo hacer. Decide y mantén esa posición. Cumpre las promesas, buenas o malas. Si me prometes un premio, dámelo, pero también si es un castigo. Trata de comprenderme y ayudarme. Cuando te cuente un problema no me digas: "eso no tiene importancia..." porque para mí sí la tiene. No me digas que haga algo que tú no haces. Yo aprenderé y haré siempre lo que tú hagas, aunque no me lo digas. Pero nunca haré lo que tú digas y no hagas. No me des todo lo que te pido. A veces, sólo pido para ver cuánto puedo recibir. Quiéreme y dímelo. A mí me gusta oírtelo decir, aunque tú no creas necesario decírmelo.

sexta-feira, 24 de julho de 2009

EITA CABRA DA PESTE

Recebi este texto de um amigo nordestino, mas, infelizmente, só sei falar português e espanhol. Por mais que eu tente, não consigo entender o nordestês. Alguém aí se habilita em traduzir para mim?

"Chico, cabra errado e bonequeiro, já melado, depois de traçar um celular e duas meiotas, vinha penso, cambaleando, arrodiando o pé-de-pau , quando deu uma topada que arrancou o chaboque do dedo.
- Diabeísso!
Vai, cú-de-cana! mangou a mundiça que tava perto.
- Aí dento! - disse Chico
Chico estava ariado desde ontonti, quando o gato-réi que ele acunhava lá na baxa da égua, bateu fofo com ele pra ir engabelar um galalau estribado da Aldeota.
- É o que dá pelejar com canelau, catiroba, fulerage - pensava ele - ganhei um chapéu de touro, mas não tem Zé não, aquela marmota tá mesmo só os queixo e a catinga. Dá é gastura.
Chegando em casa se empriquitou de vez e rebolou no mato todas catrevage da letreca: uma alpercata, um gigolete amarelo queimado e uns pé de planta que ela tinha trazido inquanto iam se amancebar. Depois se empanzinou de sarrabui e de baião e foi dormir pensando nas comédias."

segunda-feira, 20 de julho de 2009

DIA DO AMIGO


Muito eu poderia dizer sobre o dia de hoje. Muitos nomes eu poderia citar no dia de hoje. Vários casos eu poderia expor que ilustrassem tantas e tão fortes amizades. Mas prefiro dizer que o dia de hoje é, sem dúvida, um dos mais importantes para mim, pois o que seria deste careca que vos 'fala' se não fossem os amigos que fiz ao longo dos meus 39 aninhos, 25 deles aqui na Santa e bela Catarina.

Só me resta agradecer a todos e esperar que passemos outros 25 aninhos juntos para comemorarmos, mesmo que virtualmente, este dia tão especial.

Amos todos vocês MEUS AMIGOS!!!

segunda-feira, 13 de julho de 2009

I WANNA ROCK N' ROLL ALL NIGHT


Hoje é comemorado o Dia Mundial do Rock. Preciso dizer alguma coisa mais? Não. Então, para ilustrar este dia tão especial, saí pesquisando na rede alguma notícia interessante para publicar, pois não queria ficar falando de bandas, músicas e tudo o mais, pois, para quem gosta do bom e velho rock, como eu, é chover no molhado. Eis que encontrei uma matéria (A Notícia) muito legal sobre cartazes de bandas e shows de rock, e disponibilizo aqui para que vocês leiam. É isso. Um beijo na boca do estômago, como diria meu amigo Alessandro, e até a próxima!!

Dia Mundial do Rock: a arte roqueira
Desde a década de 1960, os cartazes de shows são uma forma de arte por si só, um festim visual que precede a música
Rodrigo Schwarz rodrigo.schwarz@an.com.br

Um espetáculo de rock pode começar bem antes de a banda subir no palco. Desde a década de 1960, os cartazes de shows são uma forma de arte por si só, um festim visual que precede a música. A tradição continua viva, com dezenas de artistas que se dedicam a produzir cartazes arrebatadores para bandas do estilo, que é comemorado hoje em todo o mundo. Um dos primeiros expoentes desse filão foi o canadense Bob Masse. Durante a efervescência do rock psicodélico, Bob fez cartazes para Jimi Hendrix, The Doors, Grateful Dead e Jefferson Airplane. Os traços de Bob espelhavam todo o clima lisérgico das bandas do período. E, diferentemente dos artistas para quem trabalhava, Bob continua na ativa, com clientes como Smashing Pumpkins, U2 e Neil Young. Nos Estados Unidos e Europa, bandas milionárias não se importam de pagar milhares de dólares para um cartaz memorável. Os principais artistas do mercado são Emek, Mike Klay, Rex Ray, Jermaine Rogers e James Rheem Davis. Seus cartazes são colecionados por fãs de música e até ganham espaço em galerias de arte. Algumas dessas obras valem mais do que guitarras raras da Gibson e Fender. No Brasil, o mercado de cartazes ainda é amador. A moeda corrente entre artistas e banda é amizade. O ilustrador joinvilense Diogo Cesar faz cartazes para seu próprio grupo, o Fogazza, e para as bandas dos amigos. — Os artistas fazem com gosto porque têm bastante liberdade. É diferente do trabalho comercial, em que os clientes opinam bastante. Em um cartaz de rock dá para se soltar — diz. Diogo está fazendo agora um cartaz para a banda Alva, de Joinville. — O importante é curtirmos o som da banda. Quase sempre, o desenhista trabalha para quem gosta de ouvir — informa Diogo. Outro ilustrador joinvilense entusiasta dos cartazes de rock é Márcio Dall'Acqua. O vocalista e guitarrista da banda Vacine transforma o material de divulgação de seu grupo em obras de arte. — Minha principal influência é o universo das pin ups da década de 1950 — diz Márcio, sobre as mulheres voluptuosas que estrelam seus cartazes. Para Diogo Cesar, a arte dos cartazes está passando por um renascimento. — Acho que está voltando com força. As bandas estão se tocando que dá para transformar propaganda em arte — assinala Diogo.

quarta-feira, 1 de julho de 2009

SITE INTERESSANTE

Para aqueles que gostam da língua espanhola, estão estudando ou pretendem fazê-lo um dia, cliquem aqui e pratiquem, pois o que não falta é exercício.
Es eso, espero que les guste.
Un beso.